Postagens Recentes

20 de fev de 2017

Escola Inclusiva? Só em teoria!



Já faz algum tempo que essa minha colega me conta sobre sua amiga que tem um filho que nasceu com algum problema impossível de diagnosticar até agora...Ela conversa comigo esperando por conselhos pois esta mãe se encontra completamente perdida como eu no início disso tudo, Fizeram algumas ressonâncias (Plural mesmo) e foi descoberto que faltou oxigenação no cérebro da criança ao nascer, o que formou algo no cérebro dele justamente na parte responsável pelo desenvolvimento neuropsicomotor, e então a mãe se lembrou que ao dar a luz o médico "esqueceu" que o cordão umbilical estava ao redor do pescocinho, o que fez com que ele sufocasse, o bebê não chorou por isso, e a mãe nunca considerou que aquilo tivesse alguma relação com toda a sua dor de agora. Médico este que também fez o meu parto e que me disse que no ano seguinte eu estaria lá de novo parindo mais um.
Estudei em escola particular grande parte da minha vida, na minha sala havia um garoto com paralisia também, vivia em cadeira de rodas, seu cérebro parecia seguir o rumo dos demais apesar da grande dificuldade de aprendizado, depois conheci outra criança com paralisia na Apae, este andava, mas não falava, é um menino tão doce e tão carinhoso, mas possui um leve retardo. O caso é que nas escolas infantis municipais de Paracatu meu filho não era aceito até este ano, eu e minha mãe chegávamos e conversávamos, porém a vaga que tinha por telefone deixava de existir magicamente quando chegávamos com meu filho. Uma das creches do qual ele foi rejeitado aceitou-o este ano após a mudança de direção, a diretora atual é um amor de pessoa, já me pediu os laudos pra que pudéssemos ter a monitora garantida (Monitora que a prefeitura só disponibilizou até as 13 horas), a monitora também é outro anjo em nossas vidas. Antes desse perrengue ele estudou numa outra creche que o recebeu da mesma forma, chamada Hotelzinho Kids, seu desenvolvimento era notável. Todos os neuropediatras, psiquiatras e profissionais da área por quem passávamos diziam a mesma coisa: Pedro precisa socializar. Ok, tudo bem.

A mãe deste garoto citado no início deste texto tentou matriculá-lo em todas instituições de ensino PRIVADAS de Paracatu, menos uma (Não conhecia o Hotelzinho Kids, então acho que não foi lá), nenhuma destas escolas íntegras e de bom nome "aceitou-o", exceto uma que além da mensalidade, material e alimentação ainda exigia uma quantia de R$ 800,00 pra recebê-lo, e esta foi a escola que estudei. As pessoas sempre me falam: "Mas não existe isso, elas simplesmente tem que receber", mas não recebem. E como fica a criança? Não vai estudar, não a cabe no mundo, não existe espaço, afinal quem mandou tanto esta criança quanto meu filho nascerem com defeito? Eu acredito seriamente que a maioria das pessoas com seus preconceitos velados é que são defeituosos, nasceram quebrados, sem empatia, sem coração. A mãe, infelizmente, não vai entrar na justiça, continua sua busca por algum lugar em que tenha um espaço pro seu filho. Eu a entendo, você vai lá e força por meio de liminar a aceitar a criança e ela é maltratada, e então as pessoas dirão: Eles não podem fazer isso, e eu vou responder que também não podiam rejeitar, entretanto só aceitariam mediante liminar. E a inclusão? Parece que falar de inclusão é falar de alienígenas, existe a possibilidade de tê-la, mas são poucos os que viram.

24 de jan de 2017

Dica de Filme: Adam


Eu comecei a assistir Adam, parei algumas vezes antes de terminar, precisei de dias pra continuar e ás vezes precisei de semanas, hoje decidi terminar, hoje em especial após mais um soco nas minhas fuças entre milhares que já recebi. O filme tem início no começo da história de um asperger de vinte e nove anos sozinho tendo em vista que seu pai acabara de partir deste plano. Acabando de conhecer uma vizinha que se mudara recentemente e o obriga a sair da sua zona de conforto. Observar o sofrimento de Adam em se adaptar e entender pela Beth e a incapacidade dela de compreender me fez chorar algumas vezes, enquanto outras vezes fez com que eu temesse pelo futuro do meu filho que sequer chega a ser considerado asperger. No fim das contas fica meio que subentendido o reencontro deles ou não. Adam perde o emprego e precisa começar a se virar, a ir atrás de uma vida como qualquer outro adulto...
Hoje finalmente consegui terminar o filme, não sei se o indico, pois eu sofri e estou com um sério pesar no peito, mas de certa forma me deu um pouco de esperança e fé, talvez os mais fortes consigam se apegar somente a parte do final feliz. Pra quem gostaria de conhecer um pouco mais sobre asperger é sim uma escolha interessante.

22 de jan de 2017

Meu Filho não fica com o AASI, e agora?


Meu filho ganhou uma prótese emprestada na Unesp, no CDA, mas de qualquer forma não faria diferença, afinal no caso do meu filho é preciso a cirurgia do implante coclear. Após parecer que o CDA foi perda de tempo resolvemos ir atrás de outros lugares, agora estamos no CPA, do centrinho em Bauru, conhecido como Hrac. A nossa luta pela reabilitação auditiva de Pedro Miguel começou assim que descobrimos e algum tempo depois recebemos essa prótese que meu filho simplesmente não usava, já tentamos de diversas formas, ultimamente tenho pensado seriamente em colocar uma fita adesiva daquelas de empacotar na orelha dele uhauheuhauheuhe
Já tentei colocar o dia todo insistentemente e não adiantou, tentei esperar uns minutos pra ele esquecer que queria tirar e tentar colocar de novo, tentei colocar de castigo todas as vezes que ele tirasse a prótese, mas desta vez viajamos pra Bauru, e ele simplesmente aceitou, entretanto, toda vez que se lembrava do aparelho em sua orelha ia lá com as mãos pequeninas retirá-los, mas desta vez eu estava tão estressada pela viagem e ansiedades que passei a movimentar minhas mãos como se estivesse descontrolada uahuehuahe e brigava com ele, como ele não escuta ele não poderia ouvir a loucura na minha própria voz devido a todo o estresse de uma mãe louca indo por aí em busca do que pode ser melhor pro próprio filho, talvez ele só me visse gesticulando feito louca tipo o Chris quando parava de escutar a Rochelle e só observando no modo mudo a cena, preciso repetir essa cena mais algumas poucas vezes e ele, finalmente, parece estar mais apto, ficando com o aparelho por bem mais tempo e ás vezes até me puxando pra consertar quando a prótese está saindo do lugar. A questão é que eu sei que pra ele é só um negócio na orelha dele, mais nada, entretanto é preciso estimular os nervos dos canais auditivos a fim de que não atrofiem como me explicaram algumas vezes, com o implante a situação seria outra, mas caso não fosse eu insistiria do mesmo jeito, já que uma mãe nunca desiste de um filho. Porém me sinto mal por ele não ver os benefícios do uso do aparelho, na verdade nem eu vejo, mas se falaram que é bom só posso esperar pelo melhor e fazer a minha parte...Sniff! E vocês? Tem alguma experiencia semelhante?

9 de jan de 2017

Virada de Ano do Pedro!


E nossa virada foi assim, exceto pelos vinte minutos que Pedro sapateou, todo o resto foi sentado a mesa organizando o dominó, enquanto pessoas dançavam a sua volta, esbarravam, e crianças brincavam, muitas vezes o chamando lá estava ele focado como se estivesse tentando resolver uma equação com muita atenção, nem mesmo o flash da câmera fazia mudar seu olhar. Antes de colocarem os dominós jogava os balões que ganhava do pai pro alto e duas crianças que ali estavam pegavam para ele jogar de novo, durante muito tempo, ou ele corria e eu sempre atrás dele com medo de que se machucasse ou quebrasse algo visto que estávamos na casa da minha cunhada. Eu me diverti muito e acho que ele também a seu modo. 2016 foi um ano difícil, mas sei lá, tenho um bom pressentimento sobre 2017, espero que o de vocês seja tranquilo, cheio de paz, e acertos. Espero que eu aprenda a ser a mãe que Pedro merece e que este ano seja mais fácil que o passado, 2016 também não foi fácil pra ele, imagine uma criança cheia de energia passando horas dentro de um carro? Pois é, isso aconteceu muito em 2016, e pro Pedro era sofrido, mais do que era pra mim tenho certeza, foram muitas viagens, a grande maioria não deu em lugar algum, mas aprendemos muito, como tomar cuidado com os hoteis que escolhemos baseado em fotos de internet e que Pedro tem que ficar na cadeirinha mesmo chorando por horas, ele aprendeu com isso também.
Feliz 2017 pra todos nós!

Um Passeio ao Zoológico de Belo Horizonte


Acordamos bem cedo para irmos ao zoológico de BH, localizado na Pampulha e oficialmente chamado de Fundação Botânica. Era um sonho antigo meu levar Pedro lá e observar suas reações, após alguns projetos frustrados finalmente fomos, tirei uma série de fotos legais. Uma gorila teve dois filhotes e alguns dias depois passou no MGTV que a outra gorila estava grávida, muita injustiça duas fêmeas pra um macho, mas enfim, entendo que se colocassem outro macho lá provavelmente haveria luta e um dos dois não sobreviveria ao primeiro cio de uma das duas, pelo menos é o que acho. Era uma manhã quente e com muito sol, entretanto infelizmente não havia leão ou onça. Não passamos pelo aviário, pelos répteis e alguns muitos outros foram ignorados devido ao calor.

Tirei inúmeras fotos de lá, muitas mesmo e pra que não se tornasse repetitivo ou um post muito longo precisei escolher algumas e fazer uma montagem delas no photoscape, espero que dê pra ver e se maravilhar!

Pedro sempre fica muito feliz em caminhar, conhecer novos lugares, passear, ele é do tipo que tem energia pra dar e vender, sorria muito, ficava encantado com os galhos das árvores que tinha por todo canto do lugar. Lamentavelmente sua reação aos bichos que ali haviam não foi como eu esperava, só o vi parar pra dar uma olhada, prestar atenção mesmo e ainda assim por um espaço de tempo muito curto nos gorilas, o que encantava a maioria das crianças, adolescentes e adultos ali não prendeu seu olhar, enquanto o que para nós não significava nada arrancava uma série de sorrisos seus.

Caminhamos tanto que acabou sobrando pro pai dele carregá-lo, mesmo também estando cansado, mas qualquer um podia ver que meu filho estava feliz, senti que valeu a pena ficar todo esse tempo insistindo, chorando e pegando no pé do seu pai pra que o levasse lá.

Veja Também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...